AO VIVO: assista agora a live com a dupla Chitãozinho e Xororó

157

Compartilhe:

Acontece hoje a segunda live da dupla Chitãozinho e Xororó, à partir das 20h e poderá ser assistida em nosso site diretamente do canal oficial da dupla, hoje também teremos lançamento oficial da música “Nosso Terceiro Cachorro”, na live, então basta clicar no player acima e curtir muito modão sertanejo com uma das melhores duplas do Brasil.

AO VIVO: assista agora a live com a dupla Chitãozinho e Xororó

BIOGRAFIA CHITÃOZINHO E XOXORÓ

Há quase cinquenta anos, José Lima Sobrinho e Durval de Lima começavam a trilhar um caminho cheio de amor e dedicação à música, que os levou a ostentar, hoje, o título de ‘reis do sertanejo’. Apesar de precursores do ritmo nas rádios FM do Brasil e serem os primeiros a ocupar topo das paradas da Billboard, Chitãozinho & Xororó não se transformaram neste ícone adorado nacionalmente da noite para o dia.

Altos e baixos na indústria fonográfica, inúmeras apresentações em circos e investimentos do próprio bolso marcaram o início da carreira dos irmãos de Astorga, no Paraná. Foi preciso muita garra e persistência para chegarem aos 40 milhões de discos vendidos, 37 álbuns inéditos, dez DVDs, quatro prêmios Grammy, centenas de discos de ouro, platina e diamante, diversas turnês, programas de televisão, um samba-enredo contando sua história, entre muitos outros feitos.

Foi no inesquecível ano de 1978 que a dupla colheu seu primeiro resultado de sucesso, com a canção 60 Dias Apaixonado, ao conquistar o primeiro disco de ouro da carreira. Dois anos depois, triplicaram as vendas com Amante Amada, 600 mil cópias, e levaram para casa disco duplo de platina. No entanto, foi com Fio de Cabelo, do álbum Somos Apaixonados, de 1982, que eles, de fato, deram uma reviravolta. A música estourou nas rádios do Brasil e o disco chegou a 1,5 milhão de cópias vendidas, um marco na história de Chitãozinho & Xororó, rompendo as barreiras do preconceito contra o gênero sertanejo.

A partir daquele momento, o legado da dupla só cresceu. São mais de dezenas de clássicos na história da música sertaneja, incluindo Se Deus Me Ouvisse (1986), Fogão de Lenha (1987), No Rancho Fundo (1989), Evidências e Nuvem de Lágrima (com Fafá de Belém) (1990), Brincar de Ser Feliz (1992), Página de Amigos (1995), Alô (1999), Frio da Solidão (com Roupa Nova, 2001), Sinônimos com Zé Ramalho (2004), A Majestade o Sabiá, com Jair Rodrigues, Arrasta uma Cadeira (2005), uma composição de Roberto Carlos e Erasmo Carlos feita especialmente para cantarem com a dupla que, segundo os autores, levou catorze anos para ficar pronta; entre muitas outras.


Muito antes da primeira grande realização, desde os tempos em que ouviam o pai, seu Marinho, e a mãe, dona Araci, cantando juntos na infância, os irmãos sabiam que a música era uma paixão que corria pelas veias. De tanto observar e admirar, eles aprenderam todas as letras preferidas dos pais e cantavam as músicas com afinação. Xororó na primeira voz, imitando a mãe, e Chitãozinho na segunda, como o pai. Quando o pai percebeu o talento dos pequenos, as festas juninas e clubes de Rondon, cidade do Paraná onde passaram a infância, viraram palco para as apresentações…. continua…


DEIXE SEU COMENTÁRIO